O fundador do Santa Cruz que estudou e jogou com o governador

Raimundo Colombo e que ia a pé com seu time jogar amistosos

pelos campos de futebol em Lages.

No ano de 1967, um menino de 14 anos, morador do bairro Morro do Posto,

resolveu, juntamente com alguns amigos, criar um time de futebol. Foi aí que

nasceu o hoje cinquentenário, Santa Cruz.

Esse menino, o Luiz Carlos, popular Tio Canha, juntamente com o Bico Fino, o

Deguinha e o Tio Lê, jogavam bola em uma das ruas do bairro quando tiveram

a ideia de comprar um jogo de camisas para montar um time de futebol. Tio Canha,

que aprendeu a profissão de sapateiro com o seu pai e já ganhava uns trocados,

juntou 80 “pilas” e com seus amigos, foram até a loja dos “Turcos” no centro da

cidade e compraram o material. Na volta para casa, passaram por um “carreiro”

no meio do mato, onde hoje é a ACIL, e escolheram o Santa Cruz como nome

ao time, em homenagem ao time do Recife no Pernambuco.

Os meninos do time foram crescendo e com eles também, o clube, que já disputava

amistosos pela cidade. – “ Quem tinha bicicleta ia pedalando, mas a maioria,

ia mesmo a pé” – comenta o Tio Canha. – “Lembro que fomos jogar no centenário

contra o Atlético do Sr Nelson Santana. Jogamos contra o Guaíra e o

Lages lá da Penha, onde tinha um grande jogador, o Humberto, que hoje é

gerente regional de Educação, ele jogava muito bem. Também jogamos no

Santa Helena, Guarujá e íamos a pé em todos esses jogos”.

Oficialmente, o Santa Cruz participou da Copa Arizona em que o Manda Brasa

do Cerrito foi o campeão. Jogaram também os Jibs, Jals e o Jocol.

Da equipe, saiu o atleta Paulinho para o Internacional de Lages, quando o

Tio Canha levou ele para o Setembrino, técnico do Inter na época.

Entre os grandes adversários do Santa Cruz, destaca-se o Corinthians, time

também do bairro e que tinha no elenco o Eduardo, que mais tarde seria

zagueiro do Inter de Lages nas décadas de 70 e 80 e que ficou conhecido como

o Xerife do Morro do Posto. Aliás, no Corinthians também atuou o governador

do Estado, Raimundo Colombo. – “Eu, o Raimundo e o Eduardo estudávamos

na mesma sala no Centro Educacional e tínhamos o melhor time do colégio” comenta.

No bairro Beatriz, onde hoje tem uma empresa de gás, foi criado o primeiro campo

de futebol do time. Feito pelos atletas através de picareta e enxada. Depois foi feito

outro campo no local onde fica o postinho de saúde hoje. –“ Mas como eram muitos

times na redondeza, haviam muitas brigas por vagas e horário para jogar. Além disso,

a única bola que tinha, caia no “Peral” abaixo e terminava o jogo por ali mesmo”.

“O Tio Hélio, atual presidente da Associação do bairro Morro do Posto, também jogou

no Santa Cruz. Além dele, vários ex atletas, companheiros de time, estão morando

em outras cidades e estou conseguindo encontra-los através das mídias sociais”

diz Tio Canha.

Ele disse também que foi construído um campo no morro do posto, onde hoje é o IFSC

e para inaugurar, o Santa Cruz jogou e o governador Colombo atuou pelo time no

amistoso de abertura.

O maior sonho da equipe foi realizado durante a Copa Arizona pois tiveram a chance

de jogar no estádio municipal, o Tio Vida, o que foi motivo de muita alegria e

emoção, para a “piazada” da época.

Em 2017, o Santa Cruz comemora 50 anos de existência e para isso, o Tio Canha está

organizando um torneio com oito equipes participantes (já convidados) e que será

disputado no próximo dia 4 de outubro.

Já no dia 9 de dezembro, na associação de Cabos e Sargentos da Policia Militar,

haverá um jantar para comemorar o cinquentenário da equipe com muitos convidados

especiais. Entre eles, o próprio governador, Raimundo Colombo.

O Santa Cruz está em plena atividade, com seus atletas “descendentes” e

principalmente, moradores do Morro do Posto e bairros adjacentes.

Compartilhar